Você está aqui: Página Inicial > Crato > Notícias > Estudantes do Crato aprovam projetos no programa Corredores Digitais
conteúdo

Notícias

Estudantes do Crato aprovam projetos no programa Corredores Digitais

EMPREENDEDORISMO

Doze estudantes, em quatro equipes, participam do programa da SECITECE
publicado: 09/09/2019 13h42, última modificação: 13/09/2019 11h39
Exibir carrossel de imagens Foto: arquivo pessoal Equipe do software Fazenda Comunitária é uma das aprovadas para o programa

Equipe do software Fazenda Comunitária é uma das aprovadas para o programa

Divididos em quatro equipes, doze estudantes do campus de Crato do IFCE foram aprovados para participar do programa Corredores Digitais, na modalidade de criação de negócios. Realizado pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (SECITECE), o programa reúne capacitação, mentoria, networking e prêmios para ajudar a transformar ideias em modelos de negócios.

Um dos projetos é o sistema Fazenda Comunitária, idealizado por estudantes da graduação em Sistemas de Informação. Samuel Alcântara, Luiz Eduardo Alves, Beatriz Lopes e Emanoel Gomes pretendem desenvolver um software de gerenciamento e planejamento de recursos de pequenas propriedades rurais. Segundo Samuel, o sistema deve funcionar como um banco de dados, organizando e integrando as informações da propriedade: "Cada agricultor poderá inserir suas informações em cada módulo, como de tratamentos de animais ou plantações, do estoque, da produção e dos ganhos e gastos durante o processo de trabalho. Em suma, o software transforma um grupo de propriedades rurais em uma empresa, onde cada uma irá compartilhar a produção, o negócio e o estoque".

A equipe formada pelos estudantes Pedro Lucas Macedo de Moraes, Antônio Alexandre Alves Silva e Rafael Estenio da Hora, do ensino técnico integrado em Informática para Internet, idealizou o arkCE, um jogo de conscientização ambiental que tem como público alvo crianças jovem e adultos que querem uma maneira divertida e interativa de entender os problemas de desmatamento e de devastação ambiental.

Já Igor Melo Gonçalo, Paula Micheli Costa Gomes, Ivan Josiel Barão de Lima e Cícero Danilo Ferreira da Silva, também do bacharelado em Sistemas de Informação, foram aprovados com o projeto Tostando, um aplicativo que apresenta ofertas de mercados. O objetivo é trazer praticidade ao cliente e flexibilidade na venda dos produtos por parte dos mercados, especialmente produtos com prazo de validade perto de expirar e produtos perecíveis. 

Segundo Paula, o objetivo do Tostando também é amenizar o desperdício de produtos e diminuir os impactos ambientais. "Esperamos que através das orientações teóricas possamos concretizar na prática, nosso objetivo, agregando e compartilhando conhecimentos. Estamos felizes por estamos participando desse evento e esperamos aproveitar ao máximo as oportunidades do programa".

O campus conta ainda com um representante em uma quarta equipe: Willy Brandt Leão, que também cursa o bacharelado em Sistemas de Informação, é integrante da startup GIR - Gestão Inteligente de Resíduos. Segundo ele, a plataforma permite uma gestão automatizada de resíduos em empreendimentos. "Também oferecemos a população da cidade, junto às cooperativas de catadores e catadores independentes, a possibilidade de haver uma coleta seletiva dos resíduos recicláveis, ajudando os que sobrevivem através desses materiais, bem como evitando que os resíduos sejam direcionados aos lixões e aterros sanitários. Já os órgãos públicos poderão ter acesso aos dados fornecidos através da plataforma, possibilitando uma melhoria na fiscalização dos pequenos e grandes geradores de resíduos. O nosso foco é proporcionar uma boa experiência de uma maneira simples e engajada através do uso da tecnologia", explica Willy.

No total, o IFCE teve 57 projetos aprovados para a primeira fase do programa, com equipes reunindo mais de 200 alunos de 14 campi da instituição. Durante o Corredores Digitais, os times passarão por uma jornada de aprendizado prático em empreendedorismo e inovação, com acompanhamentos individuais e coletivos em criação de novos negócios com especialistas.