Você está aqui: Página Inicial > Crato > Notícias > Oficinas levam arte e pintura à população
conteúdo
Projeto Atelier Aberto

Geral

EXTENSÃO

Oficinas levam arte e pintura à população

última modificação: 16/10/2019 08h11
Projeto Atelier Aberto ocorre até novembro no Cras Seminário

Um projeto de extensão do campus de Crato do Instituto Federal do Ceará (IFCE) está levando arte e pintura à população atendida pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do bairro Seminário. O projeto Atelier Aberto é uma iniciativa da professora Ana Almeida, e as oficinas são destinadas para adultos que tenham interesse em aprender e ter a prática artística como parte do cotidiano.

A professora explica que o objetivo é apresentar as técnicas de desenho e pintura por meio da prática e desmistificar a ideia de que essas atividades dependem exclusivamente de um talento natural. As oficinas compartilham conceitos básicos de pintura artística, que logo são colocados em prática pelos cerca de 20 participantes de idades variadas. Todos eles aprenderam a confeccionar a própria tela, de papelão. A ideia, segundo a professora, é que eles ganhem autonomia artística com o reaproveitamento de materiais.

De setembro a novembro, todas as terças-feiras, Ana ministrará três oficinas com as temáticas natureza morta, paisagem e cultura popular. Ao longo de cada oficina, os participantes produzem uma pintura com o tema. Todas elas farão parte de uma exposição ao final do projeto.

Para Ana Almeida, a influência do projeto vai além do ensino da técnica: "Não só em oficinas, mas no próprio ensino de arte na escola, há o aprendizado artístico cultural e também um aspecto, principalmente na pintura, que é terapêutico: você precisa ter uma atenção dedicada, fazer silêncio e usar os próprios pensamentos, intuições. O passo a passo é o mesmo, mas o trabalho de cada um fica diferente".

Ana Paula Soares é uma das artistas do projeto. Ela, que já tinha experiência em pintura de tecido, mas não trabalhava com tela, explica que a vontade de adquirir conhecimento motivou-a a procurar o Cras e participar das oficinas: "A experiência está sendo ótima, porque abre muito a nossa mente e ajuda a fazer novas amizades, além da professora, que é muito boa", ressalta.