Você está aqui: Página Inicial > bienal > Oficinas
conteúdo

Oficinas

última modificação 24/11/2020 13h16

OFICINAS

II Bienal de Música do IFCE - Paulo Abel do Nascimento

 

1.  Trompete e Trompa

Esta oficina será ministrada pelo músico e professor Leandro Serafim (foto).  Leandro Libardi Serafim é maestro, trompetista e professor, nascido em Gramado-RS. Técnico em música com habilitação em trompete pela EST (São Leopoldo), licenciado em música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mestre em educação musical pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutorando em educação, no eixo de música, na Universidade Federal do Ceará e doutorando em educação musical na Université Laval, em Quebec, Canadá. Tem por experiência profissional a regência e o ensino de instrumentos de sopro e percussão em bandas escolares; a função de trompetista em diversas orquestras; o cargo de técnico de planejamento e controle de produção do curso de Licenciatura em Música da UFRGS em Modalidade a Distância; a regência da Orquestra Jovem de Gramado e da Orquestra Jovem de Novo Hamburgo; a Direção Artística da Orquestra de Sopros de Novo Hamburgo; a Coordenação Artística das seis primeiras edições do Gramado in Concert - Festival Internacional de Música, onde também atuou como regente da Banda Sinfônica do Festival; foi coordenador das quatro primeiras edições do Concurso de Composição Erudita e das três primeiras edições do Concurso Jovens Solistas do festival Gramado in Concert, participou como maestro da Orquestra Jovem Internacional e da International Brass Ensemble do Festival de Orquestras Jovens Eurochestries nas seguintes edições: Sobral/Brasil (2015 e 2019), Charente Maritime/França (2016), Qingdao/China (2017) e Québec/Canadá (2018). Atualmente é professor de sopros - metais da Universidade Federal do Ceará, atuando também como regente da Orquestra Sinfônica e da Banda Sinfônica da UFC.

2. Saxofone

Esta oficina será ministrada  pelo músico Erick Heimann (foto). Diplomado, desde 1996, nos cursos de saxofone erudito e MPB/Jazz pelo Conservatório de Tatuí - SP, Erik Heimann Pais aperfeiçoou-se sob a orientação de Dale Underwood (EUA) e recebeu, em 2003, o título “Licentiate in Saxophone Performance” pelo Trinity College London. Atualmente é Mestrando na Universidade de Campinas (UNICAMP), na área de Práticas Interpretativas, desenvolvendo pesquisa sobre o panorama do saxofone no Brasil: subsídios para a performance do saxofonista contemporâneo. Foi premiado em vários concursos nacionais, destacando-se o Concurso Nacional de Música de Câmara Henrique Niremberg (RJ), onde recebeu, junto ao percussionista Luis Marcos Caldana, o primeiro prêmio por unanimidade do júri presidido pelo maestro Alceo Bocchino. Atua como músico e solista em bandas sinfônicas desde 1997, tendo tido a oportunidade de trabalhar sob a regência de maestros nacionais e internacionais. Como saxofonista da Orquestra de Sopros Brasileira (atual Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí), gravou 08 Cd's e 1 DVD, este último como solista. Atuou também como solista em importantes salas como Teatro Municipal de São Paulo, Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Memorial da América Latina - SP, entre outros. Ministrou oficinas de saxofone no projeto Pró-Bandas (SEC-SP), Painéis Nacionais de Bandas (FUNARTE) e Curso de Férias de Tatuí, entre outros.  Em 2004, foi solista frente ao University of Maryland Saxophone Ensemble sob a regência do maestro Cel. Arnald Gabriel.  Desde 2006 atua como consultor para o Departamento de Difusão Musical da Yamaha Musical do Brasil, onde, atualmente, integra o projeto Sopro Novo Bandas, pelo qual já percorreu onze Estados brasileiros, realizando workshops e recitais. 

3. Clarinete

Esta oficina será ministrada pelo músico e professor Joel Barbosa (foto). Iniciou na Banda da Guarda Mirim de Piracicaba, SP. Joel Luís da Silva Barbosa graduou-se em clarineta pelo Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí, SP. Obteve os graus de bacharel em clarineta pela Universidade Estadual de Campinas (1989) e de mestrado (MM) e doutorado (DMA), também neste instrumento, pela University of Washington em 1992 e 1994, respectivamente. Atualmente é professor titular de clarineta da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia. Atua como professor dos cursos de mestrado e doutorado desta Escola, com trabalhos nos seguintes temas: clarineta, banda, ensino em grupo e método de banda. Além disso, desenvolve trabalhos de ensino de instrumentos para formação de bandas em comunidades. Tem atuado como clarinetista e regente de banda em diversos grupos e festivais. Foi membro da comissão de Community Music Activities da International Society for Music Education (ISME).

4. Flauta Transversal

Esta oficina será ministrada pelo músico e professor Marcelo Leite (foto). Doutorando em Performance pela Universidade de Aveiro/ Portugal (UA). Mestre em Educação Musical pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Possui graduação em Bacharelado em Música pela Universidade Estadual do Ceará (2005). Atualmente, Marcelo Leite do Nascimento, é professor efetivo do Instituto Federal do Ceará - Reitoria. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em educação musical, atuando principalmente nos seguintes temas: flauta transversal, sons transversais, arranjos, ensino coletivo e educação musica

 

5. Trombone, Bombardino e Tuba

Esta oficina será ministrada pelo músico Duda Guimarães (foto). Eduardo Guimarães é bacharel em Música, instrumentos Trombone e Tuba, pela Escola de Música da UFRJ, com vários cursos técnicos e de extensão na área de música. Maestro titular da Orquestra de Sopro Sinfônico – Projeto Música e Cidadania no Paranoá (Brasília). Músico da Orquestra Cristã de Brasília, OCBRASS. Músico da Orquestra Capital Filarmonia. Maestro Adjunto da Banda de Concerto dos Fuzileiros Navais em Brasília. Diretor e integrante do Conjunto Fuzijazz - Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília. Integrante do duo Maestria Jazz - Brasília. Integrante da Metais Fine Brass – Brasília. Integrante da Orquestra JK – Brasília. Tuba Substituto da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília. (2010) Participação em seis Edições do Projeto Banda Larga como professor de Trombone, Tuba e Euphonium (2009 a 2015). Participação em gravações de CDs e DVDs de vários artistas da música popular brasileira e Gospel, como Moraes Moreira, Vitor Santos, Blitz, Comunidade Evangélica de Nilópolis, Tânia Mara, Maria Creuza, etc. Integrante da Rio Jazz Orchestra, Orquestra Tabajara, UFRJazz Ensamble, Inter Metal Quinteto, Quinteto de Metais da Uni-Rio. Atual Tubista do quinteto de Metais de Brasília - Metal & Cia. Integrante da Banda Sinfônica da Marinha desde 1990. Professor do Conservatório Opus de Música Sacra desde 1990. Professor Substituto de Tuba, Departamento de Sopros da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 2004 / 2005. Professor Substituto de Trombone, Departamento de Sopros da Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1996 / 1997 – 2000 / 2001. Professor de Trombone / Tuba da Escola de Música Villa-Lobos no Rio de Janeiro, em 1995 a 2009. Convidado a participar da Competição de Trombones “Pretige des Cuivres" - Conseil Departamental Pour La Musique Et La Culture de Hauter - Alsace, Guebwiller, 1999. Participação na Expo 2002 na Suíça, com o Show Canta Brasil - Campesina Friburguense, 2002. Participou de vários eventos nacionais e internacionais.

6. Educação Musical Inclusiva

Esta oficina será ministrada por Viviane Louro (foto). Docente efetiva do departamento de música da Universidade Federal de Pernambuco. Viviane dos Santos Louro é doutora em Neurociências pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Mestre em música pela Universidade Estadual de São Paulo (UNESP) e Bacharel em piano pela FMU-FIAM-FAAM. Pesquisadora da área de educação musical inclusiva e música e neurociências. Autora dos livros: Educação Musical e Deficiência - propostas pedagógicas (2006), Arte & Inclusão Educacional (2007), Arte e Responsabilidade Social (2009), Fundamentos da Aprendizagem musical da pessoa com deficiência (2012), Música e Inclusão - múltiplos olhares (2016) e Jogos e atividades para educação musical inclusiva (2018). Criadora do site musica e inclusão (www.musicaeinclusao.wordpress.com) e do Simpósio de Educação Musical Especial. Palestrante sobre educação musical inclusiva, psicomotricidade e neurociências em todo território nacional. Colunista da revista No Tom. Na UFPE é coordenadora dos projeto de pesquisa Balaio Sonoro - instrumentos musicais acessíveis e sustentáveis e do projeto de extensão "Probem" - Saúde mental do Músico. Coordenadora da Liga Acadêmica de Neurociências Aplicadas da UFPE e do curso de Especialização em Neurociências, Música e Inclusão, além de diretora musical do coletivo musical Catatreko (www.catatreko.wordpress.com). Organizadora do Encontro de educação musical e inclusão e membro do Laboratório de Educação Musical Especial e Inclusiva (LEMEI). Integra a comissão de neurocriminologia da Associação Brasileira de Criminologia. Possui 22 prêmios nacionais entre piano e projetos socioeducativos com arte. 

7. Regência de Banda

Esta oficina será ministrada pelo maestro e professor Marcelo Jardim (foto). Professor de Regência de Banda e Prática de Orquestra da Escola de Música da UFRJ, e responsável pela direção musical da Orquestra de Sopros da UFRJ. Atualmente, Marcelo Jardim de Campos, atua também na direção artística da EM/UFRJ. Doutor em Práticas Interpretativas pela UNIRIO. Concluiu o Mestrado em Música, pela UFRJ, na área de Práticas Interpretativas em Regência, e o Bacharelado em Regência pela mesma universidade. Estudou com os maestros André Cardoso, Roberto Duarte, Roberto Tibiriça, tendo se aperfeiçoado com Guilherme Scarabino, Jerry Junkin, Robert Raynolds e Kevin Sedatole, Otto Werner-Miller, Kurt Masur. Em colaboração com a FUNARTE, atua como consultor pedagógico dos Painéis Funarte de Bandas de Música, e como editor das partituras para banda do Projeto Partituras Online. Atua, como professor de regência e palestrante, em importantes festivais pelo Brasil e América Latina. Como regente convidado atuou com diversas orquestras e bandas no Brasil, América Latina, Europa e Estados Unidos. Em 2003 foi premiado no concurso Jovens Regentes e atuou a frente da Orquestra Petrobrás Sinfônica. Atuou como regente e arranjador ao lado de Ivan Lins, Hamilton de Holanda, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Flávio Venturini, Toquinho, Guilherme Arantes, Moraes Moreira, Dale Underwood, Nana Caymmi, Beth Carvalho, Tetê Espíndola, Paulo Moura, Lô Borges, Grupo Boca Livre, Altamiro Carrilho, Quinteto Villa-Lobos, Quinteto Pampa Brass, Quinteto Molto Libero, entre outros. Como pesquisador, atua sistematicamente na edição de obras tradicionais para banda, e na encomenda de obras novas e arranjos para bandas sinfônicas e orquestras.

8. Regência de Coral

Esta oficina será ministrada pelo regente e professor José Maurício (foto). José Maurício Brandão nasceu em Salvador (BA) onde iniciou seus estudos de música aos quatro anos de idade com aulas de piano e solfejo. Aos 10 anos tornou-se aluno do Curso Preparatório da Escola de Música da UFBA (EMUS/UFBA). Em 1988 ingressou no curso de graduação nesta universidade, obtendo, em 1993, diploma de graduação em Instrumento/Piano. Durante a graduação, iniciou estudos em regência, acompanhamento, co-repetição, música de câmara, cravo e música antiga, além de integrar o Madrigal da UFBA (1988-1992). Nos anos de 1994-95 foi maestro assistente dos Coros Universitários da Universidade Estadual de Londrina (Londrina/PR), e atuou também como docente no Departamento de Arte desta universidade. Trabalhou ainda como cravista em diversos grupos de música antiga, além de ter sido o maestro fundador do Madrigal e Orquestra de Câmara do Festival de Música de Cascavel (Cascavel/PR). Em 1996 iniciou programa de Mestrado em Música, em Regência Orquestral, tendo desenvolvido estudos em regência de ópera e pesquisa sobre repertórios operísticos brasileiros, obtendo o grau de Mestre em 1999. Tem desenvolvido atividades de pesquisa e performance especialmente em ópera brasileira, regência operística e procedimentos didáticos em regência. Foi regente do Madrigal da UFBA entre 1998 e 2001; regente titular do Coral da Universidade Católica do Salvador entre 1997 e 2007; regente fundador e coordenador da Orquestra Sinfônica da Juventude de Salvador/BA entre 2001 e 2006. Em 2005, iniciou programa de doutorado na UFBA, obtendo o grau de Doutor em Música, em Regência Orquestral, no ano de 2009, tendo desenvolvido pesquisa sobre a obra de Antonio Carlos Gomes. Em 2011, concluiu seu segundo programa de Doutorado em Música em Regência Orquestral e Musicologia na Louisiana State University – LSU (Baton Rouge/LA, Estados Unidos da América), recebendo a renomada Huel Perkings Fellowship. José Maurício é professor adjunto de regência na UFBA onde exerce também as funções de Chefe do Departamento de Música e Coordenador Artístico da Orquestra Sinfônica e Madrigal da UFBA.

9. Ensino Coletivo

Esta oficina será ministrada pela professora Cristina Tourinho (foto). Ana Cristina Gama dos Santos Tourinho é Licenciada em Ensino de Violão (UCSal, 1976), Instrumentista de Violão (UFBA, 1982), mestre em Música – Educação Musical (UFBA, 1995) e doutora em Música (UFBA, 2001), com estágio no Institute of Education (Londres, 2000, bolsa CAPES). Idealizadora e pesquisadora do ensino coletivo de violão da Escola de Música da UFBA desde 1989, sócia-fundadora da ABEM – Associação Brasileira de Educação Musical, onde foi Tesoureira (1990-1994) e Diretora Regional Nordeste (2001-2005), professora de violão da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia desde 1982 e professora de Metodologia Musical do Curso de Musicoterapia da UCSal – (1995-1997), Chefe do Departamento de Música Aplicada da UFBA (gestão 2002-2003 e 2004-2005), Coordenadora do Programa de Pesquisa e Pós-Graduação da Escola de Música da UFBA (2009-2012). Autora de artigos científicos e livros didáticos, professora de cursos de metodologia do ensino de instrumentos coletivos em várias cidades do Brasil. Professor-autor da interdisciplina de violão para os cursos de Licenciatura em Música a Distância da UFRGS e da Universidade de Brasília. Professora convidada do Hunter College, Manhattan, New York. Atualmente, realiza pós-doutorado na Universidade Estadual de Campinas, São Paulo.

10. Harmonia e Improvisação

Esta oficina será ministrada pelo músico Jeff Gardner.  Jeff Gardner é pianista-compositor-educador Norte Americano. Tem 17 CD´s gravados como líder, com artistas tais como Gilberto Gil, Gary Peacock, Eddie Gomez, Billy Hart, Kenny Wheeler, Carlos Malta, Nivaldo Ornellas, Artur Maia, Alexandre Carvalho, Marcelo Martins, Jorge Helder, Marcos Suzano, etc. Seus lançamentos mais recentes são ABRAÇOS, em trio com Carlos Balla e Alberto Continentino e BREATH e LOVELIGHT, ambos em trio com Drew Gress e Anthony Pinciotti. Jeff tem se apresentado em piano solo e com seu trio e quartet nos palcos de Europa, Africa, América Latina, Brasil, Japão, e os Estados Unidos, além de turnês como "sideman" com Steve Lacy, Eddie Harris, Freddie Hubbard, Lisa Ono, e Norma Winstone,  entre muitos outros. Ex-professor na New York University, Jeff tem ministrado cursos de jazz e música moderna ao redor do mundo. Ele é autor de vários livros didáticos publicados pelas Ediçoes H. Lemoine em Paris - JAZZ PIANO: CREATIVE CONCEPTS AND TECHNIQUES, BLUES BOOK,  SENTIMENTO BRASILEIRO e EASY JAZZ PRELUDES, além de 24 JAZZ  PRELUDES PARA PIANO SOLO (Terramar Music) e várias matérias sobre jazz e música brasileira pela revista KEYBOARD MAGAZINE (EUA).

11. Violão

Esta oficina será ministrada pelos músicos Cecilia Siqueira e Fernando Lima (foto).  Ganhador do Prêmio “Profissionais da Música 2015”, no Brasil, e do “Brazilian International Press Award 2014”, nos Estados Unidos, o Duo Siqueira Lima, formado pelos violonistas Cecilia Siqueira e Fernando Lima, é reconhecido pelo virtuosismo técnico, perfeito entrosamento e por originais e inovadores arranjos para dois violões. Cecília, do Uruguai, e Fernando, do Brasil, se conheceram no II Concurso Internacional de Violão ProMúsica/SESC, em 2001, na cidade de Caxias do Sul (Brasil), quando dividiram o primeiro prêmio depois de uma concorrida disputa com virtuoses de vários países. Esse evento foi decisivo para a formação do duo e o início de uma promissora carreira internacional. Sucesso de público e de crítica, os violonistas combinam turnês no Brasil e nas principais capitais europeias, além de incursões pela Rússia e por países da América do Norte e África. São sempre bem recebidos nos principais centros musicais, teatros e salas de grande prestígio, como Lincoln Center (Nova Iorque), New World Center (Miami), Concertgebouw (Amsterdam) e Sala São Paulo (São Paulo). Cecília e Fernando também são requisitados para aulas e masterclasses em eminentes instituições como University of Florida (Gainesville, Flórida - EUA), SMU Meadows School of Arts (Fort Worth, Texas - EUA) e Conservatoire Royal de Liège (Bélgica) e Koblenz International Guitar Festival (Koblenz - Alemanha).

12. Piano

Esta oficina será ministrada por Ewerton Oliveira.  Ewerton Oliveira tem se apresentado em vários festivais ao lado de artistas de várias partes do mundo, da China ao Peru, do Congo à França, Cuba, Espanha, Brasil, Senegal, Índia. Todos esses encontros inspiram e enriquecem a linguagem musical de um artista se que vê em um perpétuo movimento criativo. Natural de Recife, o músico cresceu ouvindo nas rádios e em manifestações culturais diversos tipos de músicas tradicionais da Região Nordeste, além dos grandes clássicos da Bossa Nova. Aos 16 anos, grava um primeiro álbum aonde atua como corista de um quarteto vocal a capella, além de outras colaborações em estúdios de gravação como pianista e arranjador. Em 2001, integra a classe de piano erudito de Marco António Caneca, na UFPE, onde se dedica trabalhar o repertório de compositores como Saint-Saëns, Fauré, Debussy, Ravel, Satie, além de compositores brasileiros como Nazareth, Santoro, Villa-Lobos, Lacerda, Miranda e Nobre.  Em 2005 representa a Universidade Federal de Pernambuco juntamente com o grupo contracantos em uma turnê na França (2005, ano bilateral do Brasil na França), e nesta ocasião decide continuar os estudos na cidade de Lyon, onde se instalou no ano seguinte (2006). Após um ano de intercâmbio entre as universidades UFPE e Lumière Lyon 2, Ewerton integra a classe de piano jazz de Mario Stantchev no Conservatório Nacional Regional da cidade Lyon, e, paralelamente, através de uma dispensa de disciplinas, valida o curso de Licenciatura em Música no período de um ano letivo na mesma universidade (Lyon 2). Além de pianista e compositor, Ewerton Oliveira também se dedica a elaboração de arranjos. Em 2014, respondendo a uma encomenda do Conservatório Nacional Regional de Lyon (onde foi aluno) para o Festival Cordas Sons d’Hiver, assina os arranjos de uma grande parte do conjunto de peças da obra “Quadros Em Exposição”, de Moussorgky. A criação envolvendo uma releitura completamente original misturando, jazz, música tradicional do Nordeste do Brasil e por vezes uma estética de música contemporânea, foi apresentada em Janeiro de 2014 no anfiteatro da Ópera Nacional de Lyon.

13. Canto Popular

Esta oficina será ministrada pela cantora Manu Cavalaro (foto). Intérprete escolhida por Cristina Saraiva no álbum Terra Brasileira, Manu Cavalaro esteve no ranking dos 12 discos mais vendidos no Brasil pela distribuidora Tratore no ano de 2010.Natural de Catanduva no interior de São Paulo Manu Cavalaro aos oito anos de idade conciliava suas primeiras gravações de jingles comerciais e os estudos de piano erudito, piano popular e o canto. Com onze anos já se apresentava como cantora em bailes e eventos acompanhada pelos pais músicos. Aos dezoito anos ingressou no maior conservatório de música da América Latina, o Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí- SP onde estudou piano e canto MPB/Jazz. Atuou com nomes importantes do cenário musical brasileiro como Paulo Braga, Filó Machado, Itiberê Zwarg e Renato Braz. Participou dos discos “São Benedito” do Grupo Mente Clara, “Jóia Crioula” de Marcos Alma, “Carvão” de Rodrigo Digão Braz, Um respiro de Gustavo Bombonato e o “Rio e a Lua” do compositor paulistano Tiê Alves. Em 2016 lançou seu segundo disco, primeiro trabalho autoral. O CD intitulado "Cantora Não" teve participação especial de Itiberê Zwarg (contrabaixista de Hermeto Pascoal) e recebeu menção honrosa de Ed. Félix no site Embrulhador. Atuou como educadora musical de bebês e crianças em escolas por quase 10 anos. Atualmente é criadora de conteúdo digital sobre canto, com mais de 340 mil inscritos no Youtube, 20 mil seguidores no Instagram e centenas de alunos no mundo inteiro já se inscreveram em seus cursos de canto online.

14. Percussão

Esta oficina será ministrada pelo músico e professor Kleber Moreira (foto). Nascido na cidade do Natal em 1983, Kleber da Silva Moreira iniciou seus estudos de música aos 18 anos. Em 2003 ingressou no curso técnico de música da UFRN com habilitação em Percussão Erudita. Em 2007 ingressou no curso de Bacharelado em música na UFRN, concluindo o curso no ano de 2010. Nos anos de 2011 e 2012 atuou como professor substituto da cadeira de percussão erudita na UFRN. Em 2012 funda a primeira Nação de Maracatu do Estado do Rio Grande do Norte, Juntamente com outros membros fundadores. A Nação Zamberacatu atua na promoção da cultura negra afro-religiosa no Estado. Atualmente integra o corpo docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará como professor de Bateria e Percussão do curso de Licenciatura em Música do campus Canindé. Durante a trajetória profissional, atuou como percussionista e baterista de vários projetos artísticos da cidade do Natal assim como do estado do RN - CE - SC. Dentre os trabalhos destacam-se: Khrystal, Sesi Big Band, Rosa de Pedra, Jerimum Jazz, Tiquinha Rodrigues, Simara Tamara, Riccelly Guimarães, Tatiana Cobett, Saturnino, Camila Masiso, Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, dentre outros.

15. Acordeon

Esta oficina será ministrada por Toninho Ferragutti (foto). Considerado um dos mais inventivos e talentosos acordeonistas, Toninho Ferragutti é filho do compositor e Saxofonista Socorrense Pedro Ferragutti e possui uma extensa participação em centenas de cds e shows de artistas importantes no Brasil e no exterior. Tem 13 cds solo e em parceria, com 3 indicações ao Grammy Latino, ao Premio Tim, Prêmio Governador do Estado de São Paulo, Prêmio da Música Brasileira. É ganhador do troféu Açorianos de música 2014/2015 como melhor compositor Erudito, Troféu Cata-Vento 2015 na categoria Música Instrumental, e o seu CD “A Gata Café”, esta entre os melhores cds de 2016 e através dele recebeu o Prêmio de melhor solista na categoria Música Instrumental no 28º Prêmio da Música Brasileira.

16. Áudio e acústica

Esta oficina será ministrada por Pablo Serrano (foto). Ao longo da carreira Pablo sempre foi apaixonado pelo arrepio que a música nos faz sentir, e isso o levou a estudar cada dia mais sobre como projetar salas para experiências sonoras completas. Essa paixão pelo estudo o levou ao título de Doutor em aeroacústica computacional pela University of Southampton – Southampton, UK e Mestre em engenharia mecânica (acústica) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Pablo é empresário, consultor em acústica, músico, produtor e CEO do Portal Acústica, onde exerce as atividades de mentoria, editor do blog e professor dos cursos presenciais e à distância.

 

17. Canto Lírico

Esta oficina será ministrada por Miguelangelo Cavalcanti. Natural de Recife, o barítono Miguelangelo é um dos mais importantes cantores de ópera do mundo, tendo se radicado na Europa há duas décadas. Estudou canto em algumas das mais renomadas instituições, na Hochschule für Musik Karlsruhe, na Bach Academy (Stuttgart), no Royal Academy of Music (Londres) e no Conservatório de Paris. Estudou com renomados pedagodos como A. C. Medina, E. Sague e G. Hornik. Ganhou inumeros prêmios em concursos de canto no Rio Grande do Sul, Viotti Valsesia (Itália) e no Concurso Alfredo Kraus (Espanha). Seu primeiro papel principal foi no Teatro Nacional de São Carlos em Lisboa, cantando a ópera "Rinaldo" de Handel com a soprano Teresa Berganza. No mesmo teatro, ele apareceu em Il barbiere di Siviglia, Guillaume Tell (Rossini), Carmen (Bizet), La bohme, Turandot (Puccini), Il trovatore (Verdi), entre outros. Ele foi artista residente no Théâtre Royal de la Monnaie (Bruxelas), nas casas de ópera de Leipzig, Praga, Hamburgo, Colonia e Basel. Ele colaborou com os diretores Peter Konwitschny, Piere Luigi Pizzi, Paolo Trevisi, Martin Kusej e Christoph Loy. Entre 1995 e 2001, Miguelandelo Cavalcanti foi solista da Opera de Graz, na qual ele cantou papeis principais em diversas óperas (Die Zauberflote, Cosi fan tutte, Don Giovanni, Le nozze di Figaro, Tannhauser, Das Rheingold, Falstaff, I Pagliacci e Lucia di Lammermoor). Ele estreou no Teatro Filarmonico de Verona no papel de Jochanaan na opera "Salome" em 2000. Entre 2004 e 2011, foi solista principal da Opera de Praga, na qual cantou os papeis de Schaunard (La boheme de Leoncavallo), Escamillo (Carmen), Enrico (Lucia de Lammermoor), Amonasro (Aida), Giorgio Germont (La traviata), Monforte (I vespri siciliani) ou Luna (Il trovatore). Desde janeiro de 2012, ele tem sido solista da Opera Nacional Checa (Czech National Opera). Alem do repertório de ópera, Miguelangelo Cavalcanti tem dedicado bastante atencao ao repertório de lieder e canções (Schubert, Brahms, Ravel), cantatas, oratórios e missas (Bach, Händel, Haydn).

 

Oficinas e Masterclass da I Bienal de Música do IFCE