Você está aqui: Página Inicial > Tauá > Notícias > Tauá debate ações de combate ao Aedes aegypti
conteúdo

Notícias

Tauá debate ações de combate ao Aedes aegypti

Objetivo foi preparar alunos e servidores para mutirão do dia 18 de abril
última modificação: 08/04/2016 16h22
Juliana Albano Alunos e servidores do campus de Tauá foram orientados para mutirão do dia 18

Alunos e servidores do campus de Tauá foram orientados para mutirão do dia 18

O campus de Tauá do IFCE realizou palestra sobre ações de combate ao mosquito Aedes aegypti. O evento ocorreu nos turnos manhã e tarde desta quinta-feira, 07 de abril.

O objetivo foi orientar alunos e servidores sobre os principais pontos a serem observados durante o mutirão “Todos contra a Zika”, que será promovida pelo campus no dia 18 de abril, de 8h às 11h. Essa iniciativa será a realização da busca ativa dos focos do mosquito no bairro Colibris, onde a instituição está inserida em Tauá.

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde, a enfermeira Anatália Loiola, apresentou os sintomas e complicações das três doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti (dengue, febre chikungunya e zika). “Os alunos e servidores do IFCE farão um trabalho de educação em saúde, explicando aos moradores do bairro sobre as doenças transmitidas pelo mosquito e as formas de combater o vetor. Essas informações também podem ser trabalhadas em casa, com familiares e amigos”, esclareceu a coordenadora.

A estudante Fabiana Gonçalves, do primeiro semestre de Telemática, destacou que todos têm papel no combate ao Aedes. “Os cidadãos precisam ter consciência sobre a responsabilidade de cada um nessa batalha contra esse mosquito e suas doenças”, ressaltou.

Ainda participou da palestra o coordenador de Endemias da Secretaria Estadual de Saúde, José Silvério Júnior. Ele apresentou as principais formas de combater o mosquito, eliminando os focos de água parada, locais de nascedouro do Aedes.

Essas ações estão em consonância com a estratégia dos Ministérios da Educação e Saúde em disseminar informações, por meio dos institutos federais, sobre as formas de extermínio do mosquito e identificação das doenças.

Por: Diogenilson Aquino (Tauá)