Você está aqui: Página Inicial > Noticias > Notícias de destaques > Nota do IFCE à comunidade acadêmica e à sociedade
conteúdo

Notícias

Nota do IFCE à comunidade acadêmica e à sociedade

ESCLARECIMENTO

última modificação: 03/04/2020 15h23

A Reitoria do Instituto Federal, de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) vem, por meio desta, reafirmar o seu compromisso em preservar, no contexto atual de pandemia de Covid-19, a saúde de seus cerca de 39 mil alunos e 3.548 servidores, além das centenas de colaboradores terceirizados lotados nas 35 unidades da instituição. Ao fazer isso, colaboramos para preservar a vida não só da nossa comunidade acadêmica, mas de toda a população, visto que a melhor forma de combater o novo coronavírus é o isolamento social, além dos cuidados com a higiene pessoal, conforme orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Ministério da Saúde e da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa).

O IFCE foi uma das primeiras instituições de ensino público do Ceará a suspender as atividades acadêmicas presenciais, o que ocorreu ainda na manhã da segunda-feira, 16, com efeito válido a partir da tarde do mesmo dia – menos de 13 horas após a confirmação oficial do primeiro caso de Covid-19 no Estado pela Sesa. Também a partir da mesma data, o Comitê de Enfrentamento ao Covid-19 no IFCE recomendou que os setores administrativos da instituição passassem a funcionar no esquema de trabalho remoto (home office) e revezamento de plantonistas para os serviços essenciais presenciais, os quais, em um primeiro momento, cabia às chefias imediatas definir quais seriam.

A fim de redobrar os cuidados, a reitoria do IFCE estabeleceu ponto facultativo em todas as suas unidades na sexta-feira, 20. Nessa mesma data, padronizou, com o devido amparo jurídico, os serviços essenciais que seguirão sendo atendidos presencialmente em sistema de revezamento de plantonistas entre 23 de março e 3 de abril de 2020, tomando por base o Decreto nº 10.282, de 20 de março de 2020, que define os serviços públicos e as atividades essenciais: apenas os de vigilância, limpeza, recepção/portaria e manutenção de laboratórios vivos. Isso significa que apenas 40 servidores em um universo de 3.548 trabalharão presencialmente em sistema de escalas de revezamento. Isso equivale a 1,12% do corpo total de servidores do IFCE.

Para além dos servidores em sistema de revezamento, as atividades citadas serão atendidas por um contingente bastante reduzido de profissionais terceirizados nas 35 unidades do IFCE – apenas os que têm menos de 60 anos e que podem se locomover para o trabalho em transporte próprio ou a pé. Todos, servidores ou terceirizados plantonistas, receberam equipamentos de proteção individual (EPI’s), como máscaras e álcool em gel, além de orientações sobre como proceder para evitar qualquer risco de contaminação.

Servidores que desenvolvem outras atividades estão trabalhando em sistema de trabalho remoto e somente serão chamados à instituição em casos urgentes e inadiáveis – por exemplo, para a manutenção, em caso de pane, das redes de sistemas eletrônicos e internet, indispensável para viabilizar o funcionamento remoto do Instituto. Mesmo assim, só serão convocados para atuar nesses imprevistos servidores que possam se deslocar em veículo próprio ou a pé, com menos de 60 anos, utilizando EPI’s e sob a recomendação de permanecer o mínimo de tempo possível na instituição, ou seja, apenas solucionar a demanda urgente e retornar para suas próprias casas.

Estando provado, pela exposição acima, que o IFCE toma todos os cuidados com a saúde de seus servidores e terceirizados, a Reitoria da instituição lamenta que alguns membros da diretoria de uma entidade sindical estejam, de forma irresponsável, deturpando a ação do Instituto e expondo, na mídia e na internet, informações que não condizem com a verdade.

Lamenta ainda que tais membros cheguem ao cúmulo de investir recursos para publicar anúncios publicitários pagos em jornais de grande circulação apenas para divulgar inverdades sobre a atuação da gestão do IFCE em meio à pandemia de coronavírus. A cada dia são atualizados pelo Governo Federal, governos estaduais e prefeituras municipais, bem como entidades que representam trabalhadores da iniciativa privada e empresários, os impactos socioeconômicos que a pandemia já está gerando: falta de recursos para adquirir equipamentos e insumos de saúde, perda de milhares de empregos, fechamento de médias e pequenas empresas, dificuldade de subsistência para trabalhadores informais.

Por essa razão, a gestão do IFCE não responderá aos ataques recebidos na mesma moeda. Não compraremos anúncios publicitários em jornais em um momento de escassez generalizada – nosso senso de responsabilidade e a sociedade cearense não aceitariam tal desatino. Vamos investir nossos recursos em pesquisas científicas para ajudar a sociedade a vencer o coronavírus, bem como na preservação das condições de higiene e proteção dos nossos poucos servidores e terceirizados que se revezarão em plantões apenas nas atividades que exigem presença física na instituição.

Por fim, reiteramos que esta gestão está toda dedicada a preservar a saúde de seus alunos e colaboradores e auxiliar a sociedade no combate ao coronavírus. Esperamos que aqueles que nos atacam não estejam colocando futuros interesses políticos acima do interesse público e do bem comum. Esse é momento de somar forças, não de dividir. Seguiremos juntos fazendo o melhor pela comunidade ifceana e pelo Ceará.


Em 23/03/2020,

A Reitoria do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará