Você está aqui: Página Inicial > Noticias > Notícias de destaques > NEABI divulga resultados de pesquisa sobre distanciamento social
conteúdo

Notícias

NEABI divulga resultados de pesquisa sobre distanciamento social

ESTUDO

Dados foram coletados através de questionário online
última modificação: 03/07/2020 20h06
Material traz informações importantes sobre o impacto da pandemia na vida dos estudantes

Material traz informações importantes sobre o impacto da pandemia na vida dos estudantes

Já estão disponíveis os resultados do relatório preliminar da pesquisa intitulada "Percepção dos Estudantes do IFCE sobre o Distanciamento Social em Período de Pandemia de Covid-19".

O trabalho, de iniciativa do O Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas - NEABI - Campus Fortaleza, foi realizado pelas seguintes pesquisadoras: professora Dra. Anna Erika Ferreira Lima (geógrafa e coordenadora do Neabi - Fortaleza, professora do Departamento de Turismo, Hospitalidade e Lazer do IFCE campus Fortaleza), professora Dra. Vanda Lúcia de Souza Borges (Cientista Social e também professora do Departamento de Turismo, Hospitalidade e Lazer do IFCE Fortaleza), professora Dra. Ana Cristina da Silva Morais (Engenheira de Alimentos- UFC e docente do IFCE Baturité) e profa. Ma. Sarah Mesquita Lima (contadora e professora do IFCE Jaguaribe).

A coleta de dados primários ocorreu mediante o preenchimento de um formulário online com 66 questões, o qual foi divulgado via e-mails e redes sociais. O questionário foi disponibilizado online de 21 de abril a 05 de maio. Os dados secundários advêm de três plataformas institucionais: o IFCE em Números 2019.2 e o Anuário Estatístico do IFCE 2018, com dados dos estudantes do Instituto Federal do Ceará, especificamente, e a Plataforma Nilo Peçanha 2018, que apresenta dados dos estudantes dos Institutos Federais.

Os resultados permitem ter um amplo panorama dos impactos que a pandemia causa no corpo discente do IFCE, tanto nos aspectos psicológicos quanto sociais e econômicos - bem como das opiniões dos nossos estudantes acerca das medidas adotadas por órgãos públicos para tentar frear o avanço da Covid em um contexto de elevada vulnerabilidade social. 

Uma das principais perguntas da pesquisa questionava os estudantes sobre como eles se sentem no período de distanciamento social. De um modo geral, 70,8% dos estudantes dizem sentir-se “dias bem e outros não”, enquanto 19% se sente bem e 10,3% que não está bem. Essa oscilação de sentimentos ocasiona quadros de tristeza profunda, semelhantes à uma condição de depressão, a momentos de leveza proporcionados pelo tempo ocupado com acesso às redes sociais e uso da música como forma de abstração da situação que os mesmos se encontram.

Dos 41% dos que trabalham e que continuam realizando atividades não presenciais (57,3%) e presenciais (42,7%) correlacionadas, afirmam 52,7% deles, sentirem-se motivados por isto, enquanto 47,3% sentem-se pressionados. Dos bolsistas que continuam realizando atividades não presenciais correlacionadas, 62,5% afirmam sentirem-se motivados por isto, enquanto 21,1% dizem ser indiferente e 16,4 %sentem-se pressionados. A maior preocupação de 61,5% dos estudantes nesse período é que alguém da família contraia a COVID-19.

Dowglas Lima - Comunicação Social - Reitoria