conteúdo

Estágio Supervisionado

última modificação 09/05/2020 00h54
Estágio Curricular Supervisionado

Clique no Link para baixar: Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado

O estágio curricular supervisionado é legalmente proposto na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional no 9.394/96 (LDB), sua construção foi delineada atendendo as Resoluções CNE/CP 01/2002, CNE/CP 02/2002 e CNE/CP 02/2015, e fundamentada nos Pareceres CNE/CP 09/2001 e CNE/CP 28/2000. Apresenta carga horária total de 400 horas mínimas de atividades, distribuídas no curso em 200 horas aula de Estágios Supervisionados no Ensino Fundamental (Ensino de Ciências) e 200 horas de Estágios Supervisionados no Ensino Médio (Ensino de Biologia), ofertados a partir do quinto semestre letivo. Além disso, a sua realização será de acordo com a Lei de Estágio, no 11.788, de 25 de setembro de 2008.

A Lei 11.788/2008, em seu Artigo primeiro conceitua o Estágio como “[...] ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de educandos que estejam frequentando o ensino regular em instituições de educação superior [...]”. Como a própria lei aborda, o estágio
compreende uma formação que permite ao estudante aproximar-se da realidade de forma instrumentalizada, contextualizada e supervisionada, propiciando a aprendizagem de práticas profissionais e o desenvolvimento de uma cultura cidadã fundamentada no princípio do trabalho.

O estágio, para além da instrumentalização técnica, configura-se como campo de conhecimento onde se permitem reflexões, discussões e novas proposições sobre a escola, docência, ensino/aprendizagem, alunos e sociedade. Essa concepção do estágio como espaço da práxis docente também contribui para a formação e fortalecimento da identidade profissional do professor, pois a legitimidade docente perpassa pela certificação universitária
e pelos saberes e fazeres pedagógicos.

Esta atividade visa promover a integração entre teoria e prática dos conhecimentos, habilidades e técnicas desenvolvidas no currículo; proporcionar situações de aprendizagem em que o estudante possa interagir com a realidade do trabalho a partir do conhecimento de aspectos gerais do ambiente escolar, tais como: elaboração e desenvolvimento do projeto político pedagógico, das matrículas, da organização das turmas e do tempo e espaços
escolares, além daqueles identificados com a sala de aula; reconstruindo o conhecimento pela ação-reflexão-ação complementar à formação profissional; desencadear ideias e atividades alternativas e metodologias investigativas; atenuar o impacto da passagem da vida acadêmica para o mercado de trabalho; desenvolver e estimular as potencialidades individuais proporcionados por momentos de vivência da profissão professor nas escolas de educação básica.

Entende-se que se o estudante inicia o seu estágio curricular a partir do início da metade do curso, tende a tornar-se um profissional mais seguro e atuante. Em termos de seu desempenho durante o curso o estágio pode trazer benefícios ao estudante permitindo uma maior identificação com a sua área de atuação.

Sendo assim, o estágio curricular supervisionado é a disciplina na qual o estagiário deve vivenciar diversas práticas e vários modos de ser professor. Conforme a Lei no 9.394/96 em seu artigo 13, os profissionais da educação - docentes deverão vivenciar da vida escolar de um modo geral, desde atividades de elaboração de proposta pedagógica da escola, até elaboração e cumprimento de planos de trabalho, seguido de atividades, como zelo pela aprendizagem do aluno, estabelecimento de estratégias de recuperação para alunos de menor rendimento, participação nos períodos de planejamento, avaliação e desenvolvimento profissional e, a colaboração em atividades de articulação da escola com as famílias e a comunidade.

O estágio supervisionado deverá ser realizado, preferencialmente, em escolas públicas, de Educação Básica, em suas etapas, ensino fundamental, ensino médio e modalidades: educação de jovens e adultos, educação especial, educação profissional e técnica de nível médio, educação escolar indígena, educação do campo, educação nas prisões,
educação escolar quilombola e educação a distância, da rede municipal e estadual de ensino, e particulares em condições de proporcionar vivência prática compatível com o curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, sob o acompanhamento e orientação dos professores do IFCE – Campus Jaguaribe.

A partir do quinto semestre, os alunos iniciam a disciplina de Estágio Supervisionado do Ensino Fundamental - observação (100 horas), onde terão a oportunidade de realizar uma observação orientada da prática pedagógica em turmas do Ensino Fundamental II, conhecendo a organização funcional da instituição e refletindo sobre o processo de ensino-aprendizagem. Os alunos deverão elaborar um projeto de ensino-aprendizagem, planos de unidades de ensino, planos de aula e confeccionar materiais pedagógicos destinados às turmas que observaram.

No sexto semestre, terão o Estágio Supervisionado do Ensino Fundamental – prática docente (100 horas), onde os alunos poderão vivenciar o processo de ensino-aprendizagem, a partir da regência em sala de aula, buscando alternativas para a prática educativa, tomando como referência suas pesquisas e reflexões no estágio anterior.

No sétimo semestre, inicia-se o Estágio Supervisionado do Ensino Médio –observação (100 horas), onde os alunos poderão conhecer a realidade escolar do ensino de Biologia em instituições públicas e privadas, sua estrutura e funcionamento, analisar o plano de curso existente, observar a prática pedagógica em sala de aula, levantar hipóteses e elaborar estratégias de solução para situações-problemas identificadas no cotidiano escolar, elaborar planos de aula e projetos didáticos baseados na realidade escolar observada.

No último semestre, os alunos irão vivenciar o Estágio Supervisionado do Ensino Médio - prática docente (100 horas), onde estarão aprimorando seus conhecimentos teórico-práticos sobre o ensino de Biologia, atuarão como gestores de ensino nas práticas de sala de aula, mediando o processo de construção do conhecimento, aplicando os saberes advindos de suas observações, pesquisas e reflexões.

São mecanismos de acompanhamento e avaliação de estágio:
a) Plano de estágio aprovado pelo professor orientador e pelo professor da disciplina campo de estágio.
b) Reuniões do aluno com o professor orientador.
c) Visitas à escola por parte do professor orientador, sempre que necessário.
d) Relatório do estágio supervisionado de ensino.
e) Outras produções e trabalhos solicitados pelo professor da disciplina.

Além disso, o Estágio Curricular está articulado com o Programa de Residência Pedagógica. Conforme o Edital no 06/2018/PRP/CAPES, o Programa de Residência Pedagógica (PRP) visa:

I - Aperfeiçoar a formação dos discentes de cursos de licenciatura, por meio do desenvolvimento de projetos que fortaleçam o campo da prática e conduzam o licenciando a exercitar de forma ativa a relação entre teoria e prática profissional docente, utilizando coleta de dados e diagnóstico sobre o ensino e a aprendizagem escolar, entre outras didáticas e metodologias;
II - Induzir a reformulação do estágio supervisionado nos cursos de licenciatura, tendo por base a experiência da residência pedagógica;
III - Fortalecer, ampliar e consolidar a relação entre a IES e a escola, promovendo sinergia entre a entidade que forma e a que recebe o egresso da licenciatura e estimulando o protagonismo das redes de ensino na formação de professores.
IV - Promover a adequação dos currículos e propostas pedagógicas dos cursos de formação inicial de professores da educação básica às orientações da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

O Programa Residência Pedagógica equipara-se às disciplinas de estágios curriculares obrigatórios
das licenciaturas, conforme previsto na Nota Técnica No 1/2018/CIPRP/PROEN/REITORIA. A Nota Técnica orienta o processo de equiparação das atividades desenvolvidas pelos estudantes no Programa de Residência Pedagógica (PRP) do Edital No06/2018/PRP/CAPES em relação aos estágios curriculares supervisionados das licenciaturas no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará- IFCE. Segundo a CAPES (2018), o PRP integra a Política Nacional de Formação de Professores e tem por objetivo aperfeiçoar a formação prática nos cursos de licenciatura,
promovendo a imersão do licenciando na escola de educação básica, a partir da segunda metade do curso. Essa imersão deve contemplar, entre outras atividades, regência de sala de aula e intervenção pedagógica, acompanhadas por um professor da escola com experiência na área de ensino do licenciando e orientada por um docente da sua IES. Com isso, a equiparação leva em consideração as semelhanças entre as atividades desenvolvidas durante PRP e as
atividades obrigatórias previstas para os estágios das licenciaturas.

Com duração de 18 meses, o Programa teve início no IFCE em agosto de 2018, com término previsto para janeiro de 2020. Visto que o curso de Licenciatura em Ciências Biológicas do Campus Jaguaribe foi contemplado com o Programa de Residência Pedagógica (PRP), Edital No06/2018/PRP/CAPES, a equiparação das atividades desenvolvidas no PRP
em relação aos estágios supervisionados é prevista para o curso de Licenciatura em Ciências Biológicas.