Você está aqui: Página Inicial > Aracati > Notícias > Aracati se destaca em registros de softwares feitos pelo IFCE
conteúdo

Notícias

Aracati se destaca em registros de softwares feitos pelo IFCE

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Sistemas criados no Laboratório de Redes de Computadores focam melhoria da gestão pública e empresarial
última modificação: 24/05/2019 11h02
Vitor Honório Equipe do Laboratório de Redes de Computadores (LAR), do campus de Aracati

Equipe do Laboratório de Redes de Computadores (LAR), do campus de Aracati

Um conjunto de experiências inovadoras desenvolvidas do campus de Aracati, fruto de pesquisas na área de computação, favoreceu uma das maiores representações, dentre os campi do IFCE, em registros de softwares no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Dos 17 registros de programas de computador feitos pelas unidades do IFCE desde 2009, seis são de autoria dos professores e alunos do Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas (LAR), localizado no campus.

As iniciativas resultam de projetos em parceria com laboratórios de pesquisa de Fortaleza (LAMP e LIT), núcleos e fundações de pesquisas (NEPEN e FCPC), Polo de Inovação EMBRAPII do IFCE (PE-IFCE), órgãos de fomento à pesquisa (CNPq), além de iniciativas inovadoras concebidas e desenvolvidas no próprio LAR. A autoria desses trabalhos teve à frente nove professores do IFCE, além de 21 alunos e egressos que participaram em pelo menos um desses registros.

De acordo com o professor Reinaldo Bezerra Braga, coordenador de projetos do LAR, a importância prática das iniciativas registradas pelo campus tem um leque diversificado. “Vai desde a contribuição para a própria empresa, para melhorar a produtividade, como também para a sociedade” resume. Ele cita o sistema Teach in Touch, uma plataforma automatizada visando à melhoria pedagógica e educacional. Elaborado em parceria com a Faculdade Vale do Jaguaribe, segundo Reinaldo, esse mecanismo abarca a ideia de que a inovação da solução está na gestão inteligente do ambiente educacional, incluindo também o acompanhamento pedagógico. “É um sistema bem completo que faz esse acompanhamento e acaba beneficiando a sociedade”, valoriza o professor.

Um dos programas de maior impacto social dentre os registrados pelo campus é o DENGOSA, sistema que possibilita o mapeamento de casos de dengue. Os dados servirão para alimentar um mapa, que apresenta regiões com baixa, média e alta incidência de casos de dengue. Isso possibilita melhorar o processo de tomada de decisão por parte dos gestores, segundo Reinaldo: “Com esse sistema a prefeitura pode mapear os casos de dengue no município e melhorar a gestão no processo de tomada de decisão, fazer uma campanha específica mais avançada em regiões que têm maior número de casos, por exemplo. Então é possível visualizar isso e tomar a decisão da melhor forma possível”, explica.

Participação discente
A importância social dessas iniciativas diz respeito também à carreira acadêmica e profissional dos discentes envolvidos. Vindo de Morada Nova, a 126 km do campus de Aracati, o aluno Luan Douglas, do bacharelado em Ciência da Computação,  ingressou no curso em função de seu interesse pelo desenvolvimento web. Desde então, já atuou em dois projetos do LAR. O primeiro foi o Teams, uma plataforma de gestão de atividades, por meio de aplicativo mobile. Logo que concluiu esse trabalho, ele ingressou no sistema Bentham Obras, desenvolvendo um aplicativo que permite gerenciar o andamento de obras de engenharia. Para Douglas, as experiências que vêm adquirindo valeram o esforço. “Eu vim pra cá justamente para fazer isso. Ao entrar nesses projetos, e agora tendo o registro de software no meu nome, eu me senti realizado pelo que eu fiz”, revela.

Outro a celebrar esses resultados é o egresso Marcos Antônio, ex-aluno de Ciência da Computação. A atuação em projetos de pesquisa e desenvolvimento, desde a iniciação científica, permitiu que ele praticamente interligasse suas experiências no LAR com a atuação profissional. Marcos trabalha atualmente no projeto Bentham, a partir de demanda da empresa Quanta Consultoria que visa desenvolver um sistema de gestão de programas e projetos de grandes obras. “O significado desse processo pra mim é de realização: consegui terminar o curso com êxito e, logo após concluir, eu tive a oportunidade de entrar nesse projeto, testar e avaliar meus conhecimentos, tudo que aprendi no decorrer desses anos”, comemora.

Saiba mais sobre os registros feitos pelo campus aqui.

Elinaldo Rodrigues - Campus de Aracati

Leia também:
IFCE já tem 59 pedidos de proteção intelectual depositados