Você está aqui: Página Inicial > Crato > Notícias > Agricultores recebem manivas de mandioca cultivadas pelo campus

Notícias

Agricultores recebem manivas de mandioca cultivadas pelo campus

Diretor do campus Crato, Éder Cardozo Gomes, destaca a importância de trabalhar para a sociedade
publicado: 10/03/2016 00h00 última modificação: 15/03/2016 07h42
Exibir carrossel de imagens Foto: Mariana Caselli Os beneficiados passarão por treinamento

Os beneficiados passarão por treinamento

Na manhã desta quinta-feira (10), agricultores familiares receberam manivas-semente de mandioca produzidas no campus do IFCE no Crato. A atividade faz parte do plano de ação do Projeto Reniva no Cariri, uma iniciativa da Embrapa para estimular a produção de mandioca no Nordeste. No Cariri, a execução do projeto é uma parceria entre Embrapa, Ematerce e IFCE.

Durante o evento, o diretor-geral do campus, professor Eder Cardozo Gomes, ressaltou a importância de projetos que beneficiem a sociedade: "Precisamos fazer com que aquilo que foi desenvolvido faça parte do contexto social. O que for possível, dentro do Instituto, qualquer ação que atenda a essa população, que são os produtores que têm carência de tecnologia, o Instituto vai estar sempre presente".

Através da tecnologia de propagação rápida, desenvolvida pela Embrapa, o IFCE cultivou manivas de mandioca, pedaços do caule que funcionam como sementes, livres de qualquer virose. Com o material sadio e de qualidade, os agricultores podem aumentar a produtividade da lavoura.

Essa foi a primeira distribuição e contemplou doze produtores rurais do Cariri beneficiários do Programa Brasil Sem Miséria, que participaram de um dia de campo. Depois de assistirem à apresentação do projeto, os agricultores tiveram a oportunidade de conhecer a tecnologia de propagação rápida, receberam recomendações técnicas sobre o plantio e realizaram o corte e o preparo das manivas.

Os doze produtores rurais selecionados devem participar também de um treinamento sobre a tecnologia de propagação. O objetivo é que eles apliquem a técnica, que é de baixo custo, e se tornem maniveiros, distribuindo as manivas-semente para outros agricultores familiares da região.

"Eu achei muito importante. Vamos levar isso para a comunidade, para eles produzirem melhor e saberem que só se trabalha com o que tiver saúde", diz o agricultor Expedito Alexandre Tavares, do município de Jardim, na região do Cariri. Para ele, "já está na hora de plantar uma semente melhor".

Segundo o gerente regional da Ematerce, Francisco Gondim Lóssio, a instituição dará assistência aos agricultores durante todo o processo, do plantio das sementes até a colheita. "O que estamos vivenciando aqui no Instituto é o pontapé inicial. Vamos montar nos municípios que foram escolhidos uma unidade de referência para divulgar e propagar essas manivas".

O coordenador da agricultura familiar da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), Itamar Lemos, acompanhou a distribuição e aproveitou o momento para destacar a importância da mandioca para o produtor cearense. "A cultura da mandioca é uma das principais do agricultor familiar e é fundamental para a alimentação humana e a alimentação animal. Quanto mais produtores de maniva-semente no Ceará, melhor para os agricultores familiares, que terão manivas de qualidade."

Projeto Reniva

A Rede de multiplicação e transferência de materiais propagativos de mandioca com qualidade genética e fitossanitária (Reniva) é coordenada no Ceará por Welinton Lima, da Embrapa Caprinos e Ovinos, que também esteve presente no evento de distribuição. Lima explica que o estímulo à produção de mandioca é fundamental para a região: "O projeto é importante para a região Nordeste em função da escassez de manivas de qualidade para os agricultores. Ele vem justamente aumentar a taxa de multiplicação desse material".

Mais informações sobre o projeto no link.

registrado em: ,
Assunto(s): Extensão rural