Você está aqui: Página Inicial > Crato > Notícias > Campus de Crato implanta NEABI
conteúdo

Notícias

Campus de Crato implanta NEABI

TRABALHO DE CONSCIENTIZAÇÃO

NEABI é instrumento de pesquisa, ensino e extensão
publicado: 22/03/2018 10h41, última modificação: 22/03/2018 10h59

O campus de Crato do Instituto Federal do Ceará está em processo de implantação de um Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NEABI), que tem como objetivos disseminar e estimular o conhecimento sobre as culturas afro e indígena. A ação é aberta a todos os alunos e servidores interessados e faz parte das diretrizes curriculares nacionais da educação. Além do campus de Crato, outras 15 unidades do IFCE contam com NEABIs.

"O objetivo é fazer com que alunos e professores tenham um discernimento um pouco mais amplo do que são essas culturas e que impacto elas têm no processo de formação da nossa civilização e da nossa cultura", explica o coordenador do grupo, professor Luciano das Neves Carvalho. "Nós precisamos recontar a história desses povos".

O núcleo acaba de definir os integrantes da coordenação e já deve dar início às atividades. Oficinas, workshops e debates estão no planejamento. A ideia também é fortalecer grupos e coletivos da região que atuam nas áreas, além de desenvolver o pensamento crítico nos alunos e despertá-los para o lado científico. "O grupo precisa ser ação e reflexão", defende o professor Luciano.

Segundo Luciano, a conscientização é uma das ferramentas de luta do grupo, principalmente no que diz respeito aos direitos das populações negra e indígena e à legislação atual sobre discriminação racial. "Muitos alunos estão vindo das proximidades de comunidades remanescentes de quilombo, por exemplo. O instituto precisa fazer com que a lei de fato seja colocada em atendimento a esses alunos, como a questão do auxílio-permanência, que muitos ainda não conhecem [benefício concedido pelo governo federal a estudantes indígenas, quilombolas ou em situação de vulnerabilidade socioeconômica]", explica ele.

Aluna do terceiro ano do curso técnico integrado em Informática, Kamila Rodrigues está empolgada para participar das ações do NEABI. "Eu tô muito animada com isso, porque finalmente vou conhecer a cultura africana, os jogos, a culinária. Acho muito importante ter isso na escola porque tem muitas pessoas, assim como eu, que não conhecem a sua cultura ou não conhecem algumas leis. A gente precisa disso para conhecer".

Integração
Nesta sexta-feira (23), o campus recebe integrantes dos NEABIs dos campi de Cedro e Juazeiro do Norte. O encontro inicia as atividades do núcleo no Crato e serve para trocar experiências e integrar as ações na região. O objetivo também é traçar pautas e propostas para o encontro dos NEABIs, que ocorre em novembro desse ano no campus de Juazeiro do Norte. "A luta é muito árdua contra todas as formas de preconceito que nós devemos combater. Lutar sozinho é complicado. O motivo dessa reunião colegiada se dá pelo fato de a gente começar a se sentir mais empoderado e perceber que outros também estão à frente nessa luta, que é de muitos", explica o professor.