Você está aqui: Página Inicial > Crato > Notícias > Campus participa de projeto para produção do pequi
conteúdo

Notícias

Campus participa de projeto para produção do pequi

AÇÕES DE EXTENSÃO

A professora Francinilda Araújo representou o IFCE em reunião em Fortaleza
publicado: 23/03/2018 10h07, última modificação: 26/03/2018 14h37
Foto: Thiago Ribeiro Instituições se reuniram para debater o projeto.

Instituições se reuniram para debater o projeto.

Um fruto amarelado, nativo da região do Cariri, consumido puro ou misturado com arroz, frango e outros pratos da culinária regional. Além de ser fonte de vitamina A, potássio, fibras e compostos anti-inflamatórios, dele é extraído um óleo utilizado na produção de cosméticos e também na cozinha. Esse é o pequi, um fruto que garante o sustento de muitos produtores rurais do Crato e de outros municípios do Cariri.

É pensando na importância do pequi que uma parceria entre o campus de Crato do IFCE, a Secretaria de Desenvolvimento Agrário do município, a Embrapa e a Associação dos Moradores da Baixa do Maracujá (no distrito de Santa Fé, no Crato) desenvolverá um projeto com o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva do fruto no município.

Na manhã da última quinta-feira (22), representantes dos órgãos públicos participaram de uma reunião na sede da Empraba, em Fortaleza, para debater sobre o projeto. A ideia é implantar uma agroindústria de beneficiamento do pequi na Baixa do Maracujá. Está prevista para abril uma reunião também com os membros da associação de moradores.

Professora do campus de Crato, Francinilda Araújo explica que o IFCE é responsável pela articulação institucional para que o projeto seja desenvolvido. Ela já pesquisou o extrativismo do pequi e verificou a necessidade de implantação da agroindústria na comunidade, para que os produtores possam aproveitar melhor o fruto. "Uma das finalidades do IFCE é apoiar as atividades locais que contribuam para a melhoria das condições de vida das comunidades ao nosso entorno. Foi nessa perspectiva que pensei em fazer a articulação", conta a professora.