Você está aqui: Página Inicial > Crato > Notícias > Aplicativo mapeia plantas nativas do campus

Notícias

Aplicativo mapeia plantas nativas do campus

Iniciativa é de estudantes e professores dos cursos de Zootecnia e SI
publicado: 17/07/2017 15h35 última modificação: 17/07/2017 15h35
Exibir carrossel de imagens Foto: Geo Brasil Funcionamento do app foi demonstrado durante a Semana do Meio Ambiente

Funcionamento do app foi demonstrado durante a Semana do Meio Ambiente

No sopé da Chapada do Araripe, o campus de Crato do IFCE tem boa parte do seu território numa Área de Proteção Ambiental, criada para preservar a Floresta Nacional do Araripe. Pensando nesse contexto, o professor Gauberto Barros, dos cursos de Zootecnia e Agropecuária, reuniu alguns alunos num projeto de iniciação científica que mapeou e identificou as espécies nativas e as espécies exóticas do campus.

Mas essa foi apenas a primeira parte de um projeto que envolveu também o curso de Sistemas de Informação: "A partir dessa identificação, surgiu um trabalho de integração do projeto, que é botânico, biológico, com a turma de Sistemas de Informação", explica Gauberto. Foi assim que nasceu o FloraMap, um aplicativo que reúne informações sobre a flora mapeada.

As plantas identificadas pelo levantamento inicial ganharam placas, para que estudantes e visitantes possam conhecê-las. Depois de baixar o aplicativo, o usuário aproxima o celular de um QR code que será incluído nas placas e tem acesso a nome, história, origem, uso e outras curiosidades sobre as espécies. Com o mapeamento, o app pode ser utilizado em aulas de campo e em disciplinas relacionadas ao tema. Dessa maneira, a plataforma interativa ajuda a despertar os estudantes para o aprendizado sobre a diversidade da flora nativa. O banco de dados também é fonte de informação para pesquisas.

Para o professor Gauberto, a união de duas áreas distintas traz benefícios à sociedade: "A integração é importante porque, unindo o conhecimento da área de Sistemas de Informação com os trabalhos da área zootécnica ou Agropecuária, nós vamos atender as demandas da comunidade, do produtor, do criador, do ecologista, dando resposta através de aplicativos e de ferramentas que vão agilizar o trabalho do usuário final".

O aplicativo ainda está em versão beta, uma fase de testes. Quando já estiver pronto, deve ser disponibilizado na Play Store. Segundo Gauberto, o objetivo é apresentá-lo para outras unidades de conservação na Chapada do Araripe. O professor João Alberto Abreu, do curso de Sistemas de Informação, explica que o app pode ser usado em outros contextos: "É possível utilizar seus recursos para mapear e identificar árvores de outras regiões, com o pré-requisito apenas que se faça o reconhecimento das espécies, o cadastro no sistema e a localização. Dessa forma, pode ser utilizado para apoiar projetos de Educação Ambiental". Além de João Alberto, quatro estudantes do curso participaram da concepção do FloraMap.

Outros projetos
O app não é o primeiro projeto que integra as duas áreas do conhecimento que compõem o campus. Em 2016, uma parceria entre os cursos criou o Sismant, um sistema de manejo alimentar de tilápias que auxilia produtores a descobrir a quantidade de ração necessária para a produção. Outros projetos também estão sendo desenvolvidos, como um jogo educativo para colaborar com o ensino de agroecologia.

registrado em: ,