Você está aqui: Página Inicial > Crateús > Notícias > Crateús realiza audiência pública para escolha de novos cursos

Notícias

Crateús realiza audiência pública para escolha de novos cursos

Evento será realizado nesta quarta-feira (10) no auditório do campus
publicado: 09/08/2016 11h06 última modificação: 09/08/2016 11h06

O campus de Crateús realiza, nesta quarta-feira (10), às 13h30, no auditório, a Audiência Pública para escolha dos novos cursos técnicos e superiores. O evento terá caráter consultivo, podendo participar alunos e servidores do campus e a comunidade externa.

A escolha dos cursos será baseada nas alternativas indicadas nas fases anteriores do processo de consulta pública, destacadamente a enquete aplicada com diversos segmentos da sociedade na região, que apontaram, entre os mais votados, os cursos técnicos em Segurança do Trabalho, Tradução e Interpretação de Libras, Alimentos, Apicultura; tecnológicos em Alimentos e Agroecologia; licenciatura em Música, Geografia e Teatro; e bacharelado em Agronomia e Medicina Veterinária.

O mecanismo de consulta pública utilizado pelo IFCE, conforme seu regulamento de criação e abertura de novos cursos, é realizado em cinco etapas. O processo atual, em Crateús, começou em dezembro do ano passado, com a consulta à comunidade interna, formada pelos servidores e estudantes do campus. Em seguida, foi realizada uma reunião com representantes dos poderes executivo e legislativo municipal e da sociedade civil organizada. Posteriormente foi realizada a enquete, contando com a participação da sociedade de forma mais ampla. 

A audiência pública é a quarta etapa do processo, que contará ainda com a elaboração e aprovação do projeto pedagógico dos cursos escolhidos. O evento terá a participação dos professores Reuber Saraiva de Santiago, pró-reitor de Ensino, e Ricardo Liarth da Silva Cruz, chefe do Departamento de Ensino Básico e Técnico, do IFCE.

Ainda de acordo com o regulamento, os novos cursos devem atender ao Catálogo Nacional de Cursos Superiores e Técnicos do MEC, bem como seguir a verticalização dos eixos (conforme as ofertas já existentes no campus), a empregabilidade e o arranjo produtivo local.

Elinaldo Rodrigues



Assunto(s): Educação