Você está aqui: Página Inicial > Cedro > Notícias > Mostra promove resgate à cultura local

Notícias

Mostra promove resgate à cultura local

Evento trouxe palestras, oficinas e exposições artísticas ao campus
por Andressa Souza publicado: 15/12/2015 15h36 última modificação: 22/12/2015 14h20
Exibir carrossel de imagens Evento contou com exposições de artistas locais (Foto: Regivano Oliveira)

Evento contou com exposições de artistas locais (Foto: Regivano Oliveira)

Os estudantes do 7º semestre de Mecatrônica Industrial do campus de Cedro do IFCE promoveram, na última terça-feira (15), a I Mostra Cultural “Cedro: Terra de Mil Encantos”. Ao longo de todo o dia, a programação ofereceu gratuitamente aos participantes palestras, oficinas, sarau literário e exposições de artistas locais.

De acordo com seus promotores, o evento buscou atender a demanda cultural existente em Cedro e contribuir socialmente na recuperação do patrimônio histórico da cidade. “Nossa missão também é desmistificar a ideia de que os estudantes de Mecatrônica Industrial e demais profissionais das áreas exatas se voltam exclusivamente para projetos tecnológicos pois, afinal, a cultura contribui significativamente para o surgimento de novas ideias”, ressalta Antônio Xavier, um dos alunos organizadores.

“Eu espero que esse evento seja uma semente e que se dê continuidade a esse projeto, para que não morra aqui como o último suspiro de uma cultura que pode desaparecer se a gente não tiver cuidado em manter a nossa memória”, destacou Saulo Bezerra, professor da disciplina de Projeto Social, que teve a Mostra Cultural como trabalho final.

“Cedro vive dentro da gente porque a cada dia nós construímos a identidade desse lugar”, comentou o professor Joatan Viana, convidado a fazer uma retrospectiva do surgimento oficial da cidade, desde a época de fazenda até a emancipação pela chegada da ferrovia.

O poeta, pintor e educador cedrense Cândido BC Neto palestrou pela manhã, após a abertura oficial do evento, momento em que abordou as manifestações culturais de Cedro, lembrando os artistas da terra como Zé Pretinho e César do Acordeon. “O registro cultural é muito importante e acontece através da ação de cada um e também coletiva”, salientou BC, considerado como exemplo de resistência da cultura local. “Fico muito feliz por saber que tem gente nova produzindo”, acrescentou ao conhecer os jovens artistas estudantes do campus Cedro.

Na quadra poliesportiva, foi aberto um espaço de exposições com peças do museu ferroviário local, obras literárias, artesanatos e pinturas. À tarde foram ministradas oficinas de música, teatro e poesia, além de um sarau literário e apresentação do grupo de karatê. Encerrando a programação, foram entregues à noite comendas de homenagem a figuras que contribuíram para o cenário cultural local e shows da banda dos servidores do IFCE, maneiro pau, penitentes do Santo Antônio, entre outros.