Você está aqui: Página Inicial > Caucaia > Notícias > Cearense premiado com melhor tese em Saúde Coletiva do País

Notícias

Cearense premiado com melhor tese em Saúde Coletiva do País

Rogerlândio Martins é enfermeiro do campus de Caucaia do IFCE
publicado: 26/01/2017 11h43 última modificação: 26/01/2017 12h04
O enfermeiro Rogerlândio Martins é servidor do campus de Caucaia do IFCE (Foto: arquivo pessoal)

O enfermeiro Rogerlândio Martins é servidor do campus de Caucaia do IFCE (Foto: arquivo pessoal)

Considerada a mais importante premiação no meio acadêmico nacional que uma tese de doutorado pode receber dentro de sua área, o “Prêmio Capes de Teses 2016 – Área de Saúde Coletiva” é do Ceará. O enfermeiro Francisco Rogerlândio Martins de Melo, servidor do Instituto Federal do Ceará (IFCE), foi premiado com o trabalho “Mortalidade relacionada às doenças tropicais negligenciadas no Brasil, 2000-2011: magnitude, padrões espaço-temporais e fatores associados”.

A tese, elaborada durante o doutorado em Saúde Coletiva – Associação Ampla Uece/UFC/Unifor, abordou o impacto e importância da mortalidade causada pelas doenças tropicais negligenciadas (DTNs) - doença de Chagas, dengue, hanseníase, esquistossomose, dentre outras -, como problema de saúde pública na população brasileira. Também estudou sua distribuição geográfica e evolução ao longo dos anos no País.

Apesar da possibilidade de prevenção e tratamento, a maioria dessas enfermidades ainda apresenta elevada carga de óbitos no Brasil, concluiu Rogerlândio. “Principalmente pelo número significativo de casos, pelo desenvolvimento de incapacitações e deformidades, estigma e discriminação social”, completa. “São doenças que não representam as principais causas de mortalidade no País, mas ocasionam um impacto socioeconômico considerável com efeito negativo no bem-estar social das pessoas acometidas”, destaca.

O propósito da tese, segundo o enfermeiro, é poder compartilhar o conhecimento e conclusões para políticas de saúde pública, alertando para a necessidade de uma atenção permanente. No Brasil, descreve o doutor, as pessoas mais afetadas e em risco de transmissão das DTNs residem em áreas rurais e nas periferias dos grandes centros urbanos. Essas doenças estão condicionadas também a outras populações vulneráveis, como indígenas, quilombolas, migrantes e moradores de rua. “É importante destacar que não são as doenças que são negligenciadas, mas sim as pessoas acometidas”, frisa.

O estudo foi conduzido no Departamento de Saúde Comunitária, Faculdade de Medicina da UFC, com orientação do professor Jorge Heukelbach e do coorientador Alberto Novaes Ramos Júnior. Rogerlândio Martins é graduado em Enfermagem pela Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza (Fametro), mestre em Saúde Pública e doutor em Saúde Coletiva pela UFC. Atua como enfermeiro assistencial no campus de Caucaia do IFCE, além de ser pesquisador colaborador no Departamento de Saúde Comunitária, Faculdade de Medicina da UFC.

O prêmio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fundação vinculada ao Ministério da Educação, é outorgado anualmente em reconhecimento às melhores teses de doutorado aprovadas nos cursos de pós-graduação em 48 áreas do conhecimento.

A cerimônia de entrega dos prêmios ocorreu na sede da Capes, em Brasília, em dezembro de 2016. Mais informações podem ser consultadas neste link.

Luís Carlos de Freitas – Campus de Caucaia